Monday, November 01, 2010

Tenho medo de escrever por não saber o que pode sair.

Pode ser catastroficamente final, um térmito de passagem.

Saudades de me sentir completo e feliz, unido por uma ligação indivisízel.

Herói de batalhas nunca acontecidas,

Fulgores perturbadores,

Um tropeção no quotidiano.

Coisas que me fazem interpretar a vida de hoje,

Com um olhar desfazado e meio perdido.

Quero cantar o teu nome em noites frias com um amar despreocupado.

O olhar para ti e sentir que devia correr e correr e correr para longe,

Sacrifica o que sinto num ritual sangrento e íntimo, solitário.

Imposições na minha vida, farto delas.


2 comments:

S* said...

Nem tens de viver segundo as imposições... Alegra-te e desfruta.

Nymphadora said...

Wicked feelings of current times.